Banguela Quest

Vou abusar um pouco da boa vontade das pessoas que vem aqui ler o Nemo pra divulgar uma história em quadrinhos que eu mesmo fiz.

img001.jpg

A seguir voltamos com a programação normal.

Anúncios

Patreon do Menino Nemo

Pois bem,

Resolvi abrir um canal caso alguém queira contribuir financeiramente com este projeto de tradução.

A idéia sempre foi traduzir mais tiras em domínio público além do Nemo desde o começo, mas a tarefa de traduzir, editar e preencher os balões de fala sozinho acabou sendo bem mais complicada do que eu pensava.

Assim, convido quem puder e estiver afim de fazer doações mensais por qualquer período de tempo a este projeto a fazê-lo por meio deste linque:

https://www.patreon.com/littlenemo

São contribuições voluntárias, as tiras seguem aparecendo no site livremente para quem quiser ler, baixar, editar ou fazer o que quiser com elas, já que a idéia de traduzir tiras em domínio público é essa.

Agradeço quem quiser (e puder) colaborar, e também quem não pode (ou quer), mas segue lendo o blogue. Qualquer dúvida só comentar.

Abraços narcolépticos,

Murak

Winsor McCay : Vida e Obra

Olá a todos!

Estou aqui para trazer para vocês, detalhes da biografia de Winsor McCay, o criador da tira dominical ‘Little Nemo in Slumberland’, esta edição é uma versão expandida da versão original lançada pela primeira vez em 1987, devido ao aniversário da tira, que completara 100 anos em 2005.

É difícil analisar o trabalho de Winsor McCay sem ser passional, afinal trata-se de um dos mais importantes artistas gráficos do século 20 e responsável pelo desenvolvimento de técnicas que hoje são parte de uma revolução no campo das artes gráficas e da animação.

Ok, este é seu legado de uma forma geral e que é reconhecido por toda uma comunidade de profissionais e estudiosos, mas o que ele fez foi muito mais que isto e é o que veremos a partir de agora neste incrível livro!

Nova Imagem

Acima, um comparativo do formato do livro com outro formato mais comum, somente para se ter uma idéia de seu tamanho, ele vem também com uma sobrecapa e capa dura, na parte interna há uma reprodução parcial de uma das cenas mais famosas de sua obra prima, Little Nemo in Slumberland.

A obra foi editada pela Abrams, escrita por um renomado estudioso em animação chamado John Canemaker e conta também com uma introdução de outro especialista chamado Maurice Sendak, autor de Where The Wild Things Are ou Onde Vivem os Monstros, adaptado para o cinema há alguns anos atrás.

 Já na introdução o leitor tem uma breve ideia da importância de McCay para gerações de leitores e admiradores das artes gráficas, ele chama nossa atenção para o incrível detalhismo de seu trabalho e de como soube traduzir para uma linguagem acessível o universo infantil. Para Sendak, sua obra prima, Little Nemo in Slumberland, nada mais é do que “um gigantesco livro infantil”, que retrata de forma acentuadamente clara os sonhos que muitos de nós abandonamos quando adultos, assim como faz com que os mesmos jamais sejam ignorados outra vez.

Acima, a capa interna, destacando Nemo caindo em direção à sua cama, abaixo originais das tiras e uma compilação de uma outra tira chamada Little Sammy Sneeze, algo inédito na época, uma vez que compilações de quadrinhos desse tipo eram bastante raras.

Acima, a capa interna, destacando Nemo caindo em direção à sua cama, abaixo originais das tiras e uma compilação de uma outra tira chamada Little Sammy Sneeze, algo inédito na época, uma vez que compilações de quadrinhos desse tipo eram bastante raras.

A obra conta em muitos detalhes toda a trajetória de McCay, desde as origens de seus pais, vindos da Escócia para os Estados Unidos até sua infância em Spring Lake, Michigan, passando por sua formação em artes e sua ida para o trabalho duro nos jornais até atingir o estrelato.

Neste ponto de sua carreira, McCay passa a atuar intensamente no Vaudeville, uma espécie de feira de atrações de todos os tipos, muito popular na época nos Estados Unidos. É no Vaudeville que exibe pela primeira vez suas animações, sendo uma das mais populares “Gertie, The  Trained Dinosaurus”, no qual o próprio McCay atuava como seu treinador, ao final da projeção ele próprio aparecia vestido como no desenho para receber os aplausos de uma platéia ávida por novidades.

Acima, pôster de ‘Gertie’ exibido no Vaudeville, ao lado um de seus editoriais e abaixo originais de ‘Gertie’ usados durante a projeção.

Acima, pôster de ‘Gertie’ exibido no Vaudeville, ao lado um de seus editoriais e abaixo originais de ‘Gertie’ usados durante a projeção.

Durante sua carreira, ele desenhou e criou inúmeras personagens.  McCay desenhava freneticamente, febrilmente, num fluxo absurdo de genialidade e inovação, soube lidar com todos os aspectos econômicos e estressantes de uma redação de jornal, atendendo à demanda exigida sempre com profissionalismo.

Toda esta dedicação rendeu-lhe  bons frutos, contratos para uso de suas criações em diversos produtos, apresentações na Broadway, aparições em eventos etc.

Com todo esse sucesso, comprou uma bela residência em Shepshead Bay, um amplo resort próximo à Coney Island, um lugar idílico que serviu de inspiração para várias aventuras de Little Nemo.

 No alto à esquerda, McCay segurando seu neto, com sua esposa, Maude e sua filha; abaixo nota em jornal onde seu filho Robert McCay (que quando criança serviu de inspiração para o visual de Little Nemo) recebe uma medalha de honra ao servir em uma importante missão durante a 1ª Guerra Mundial.Ao lado, pôster francês destacando McCay como um grande criador e divulgando também sua animação baseada em Little Nemo.

No alto à esquerda, McCay segurando seu neto, com sua esposa, Maude e sua filha; abaixo nota em jornal onde seu filho Robert McCay (que quando criança serviu de inspiração para o visual de Little Nemo) recebe uma medalha de honra ao servir em uma importante missão durante a 1ª Guerra Mundial.
Ao lado, pôster francês destacando McCay como um grande criador e divulgando também sua animação baseada em Little Nemo.

 York Herald em 1905 e seguiu até 1914, quando começou a 1ª Guerra Mundial, diante deste trágico acontecimento, McCay viu-se diante de uma nova demanda de trabalho, tendo que abandonar a tira para trabalhar em editoriais e em apoio ao eixo aliado, incentivando o país, fazendo pôsteres de convocação e armamentos, o mundo via-se perante um colapso, seus editores diziam que não havia mais lugar para os sonhos, a alegria e as aventuras.

Só voltaria a desenhar sua famosa tira durante meados da década de 20, mas em outro jornal, após esse breve retorno voltou a fazer editoriais e animações até sua trágica morte em 1934.

Durante uma semana cheia de compromissos, McCay escreve uma carta bem humorada à sua filha lhe dizendo para tomar certos cuidados em uma viagem de férias que ela iria fazer, logo em seguida volta para sua prancheta para trabalhar quando sente uma terrível dor no braço esquerdo, assustado corre para o quarto de sua esposa dizendo que tudo havia acabado, ela não sabia do estava falando quando ele pôs a mão na cabeça e logo desmaiou.

Quando o médico havia chegado, disse à família que McCay havia tido uma hemorragia cerebral e que estava em coma, durante a madrugada veio a falecer.

O que disse à sua esposa era que seu fim havia chegado, que não poderia mais continuar a construir os mundos que tanto gostava. Seu legado estava lançado, sua obra genial continuaria para sempre.

Ao lado de seu filho Robert, abaixo alguns esboços e detalhes de sua lápide.

Ao lado de seu filho Robert, abaixo alguns esboços e detalhes de sua lápide.

Ao terminar de ler o livro fiquei com uma sensação de alegria e tristeza, alegre por saber tanto sobre um artista que admiro profundamente e triste por saber que mesmo após tanto tempo que se foi, não será possível ver mais nada com sua assinatura, com sua criação enfim, é o que acontece de fato com todos nós, o que nos faz inesquecíveis para quem fica é o nosso trabalho, nossas ações, não é preciso ser genial ou ser famoso, no fim todos tocamos o coração de alguém.

Faça de seu jardim dos sonhos uma realidade! Use ferramentas Winchester! O Pequeno Nemo recomenda!

Faça de seu jardim dos sonhos uma realidade! Use ferramentas Winchester! O Pequeno Nemo recomenda!

Esta foi a belíssima resenha da biografia de Winsor McCay feita por um dos fãs mais apaixonados deste grande cartunista. Felipe Rodrigues Cordeiro importou a obra e nos fez a gentileza de trazer detalhes da vida do criador de Little Nemo e outras obras.

Acessem a página dele no DeviantArt para verem as fanarts que o Felipe fez de Little Nemo.

Mais Fanarts de Felipe Cordeiro

O Felipe é provavelmente o fã número 1 do McCay no Brasil, sempre acompanhando as postagens daqui do Blog e fazendo fanarts homenageando os trabalhos do criador de Little Nemo e outras obras.

Enquanto não saem mais tiras traduzidas aproveito pra postar mais desenhos dele.

A primeira de Nemo:
Fan Art

E esta inspirada nas primeiras tiras.

Fan ArtE por último, um editorial direto da biografia de Winsor McCay que o Felipe está lendo.

Nas palavras dele:

“Neste editorial McCay parodia a si mesmo e também à sua esposa, Maude McCay, ela gastava muito dos proventos do mestre, numa vida de luxo mas tinha seu consentimento para tal comportamento, veja só!”

Editorial

 

So Many Splendid Sundays: Tributo por Felipe R. Cordeiro

O desenhista Felipe Cordeiro resolveu prestar sua própria homenagen a obra de McCay publicando em sua página do Deviantart alguns desenhos dos personagens, entre eles uma tira do Little Nemo em que o McCay sai deste plano para viver permanentemente no Mundo dos Sonhos. Confiram as belas ilustrações de Felipe:

Se quiserem conferir outras ilustrações do autor, podem conferir a página dele no deviantart onde ele também homenageia outas obras, como Dragon Ball, Watchmen, Alice no País das Maravilhas e Harry Potter, entre outras.
Parabéns, pelas ilustrações, Felipe!

 

 

Vintage Comics – A Era de Ouro dos Quadrinhos

Como a maioria dos leitores deste blog são pessoas que apreciam quadrinhos, e que provavelmente apreciam quadrinhos antigos, vou deixar aqui o link par a página Vintage Comics no Facebook onde o Rogério Casacurta publica diariamente inúmeros quadrinhos como o Yellow Kid, Mandrake, Calvin and Hobbes, Mafalda e o próprio Little Nemo, no original e agora também a minha tradução. Tem bastante coisa legal lá,  recomendo a visita: